sábado, 22 de maio de 2010

ÉTICA MAÇÔNICA


 

Por Ir.´. Ed Halpaus *

"Um homem sem ética é uma besta desenfreada solta neste mundo." (Irmão Manly Hall)

Querido Estudante de maçonaria,

Eu tive a felicidade de poder assistir a algumas reuniões maçônicas recentemente, e a oportunidade de falar sobre Maçonaria. Na conclusão de algumas das minhas palestras, sempre havia tempo para algumas perguntas e respostas. Eu gosto de ser perguntado sobre Maçonaria por alguns motivos: Um deles é que é sempre bom para aquele que pergunta obter uma resposta para algo que estava em sua mente. Outro motivo é que me dá a oportunidade de fazer alguma pesquisa para encontrar a resposta. Nossa Comissão de Educação, na verdade, não só acolhe e solicita perguntas, nós realmente gostamos de recebê-las, porque, se não fosse pelas perguntas, não haveria muito que significasse informação/educação maçônicas.

Recentemente, um tema tem surgido na internet sobre a ética na educação maçônica. Tenho lido muitos dos posts na internet, e se eu entendo direito, a questão diz respeito ao fato de ser ético saber algo sobre a Maçonaria que seria interessante, e não compartilhar. Eu acho que vejo as coisas de forma diferente; acho que ética é muito simples. O Rev. John Maxwell também afirma que é muito simples: ele sugere que se uma pergunta sobre a ética surgir, faça uma pergunta simples: "Como eu gostaria de ser tratado nesta situação?"

Quando se trata de conhecimento maçônico, eu sempre quis ser capaz de aprender com os outros, falando com eles, ouvindo palestras maçônicas, lendo o que eles tinham a dizer sobre a ordem, etc. Todo maçom tem o direito de aprender tanto quanto quiser sobre Maçonaria, e aqueles de nós que têm informações a passar adiante temos a obrigação de ajudar nossos irmãos a aprender aquilo que eles querem aprender. Esta idéia está presente na Obrigação do primeiro grau e também no código maçônico de minha Grande Loja. A nenhum Maçom deveria ser negada informação de que ele devesse ou precisasse saber.

Ao final de minhas palestras, e através de e-mail, correio e telefone, recebo um monte de boas perguntas, tanto de maçons quanto de profanos. (Nem todos os estudantes de maçonaria foram iniciados.) Há um grande interesse na Maçonaria e em tudo que a rodeia.

Recentemente, recebi uma pergunta que envolvia algo que eu nunca pensei viesse à tona. Pouco antes disso eu estava lendo sobre Hermann Goering no livro de Denslow "10.000 maçons famosos". [Este livro pode ser encontrado on-line em www.phoenixmasonry.org ] Eu acho que o "10.000 maçons" de Denslow é um livro maravilhoso para o estudante de maçonaria possuir, e sou muito grato ao irmão que me forneceu um exemplar [na verdade, um conjunto de 4 livros], que eu uso e leio regularmente.

Enfim, no volume 2, Herman Goering é mencionado, não porque ele era maçom - ele não era -, mas porque ele era um antimaçom. (Os verdadeiros antimaçons nunca ficarão felizes até, e a menos que a fraternidade maçônica deixe de existir.

Aqui está a pergunta que foi feita após uma de minhas palestras: O irmão vira uma foto de uma publicação antiga mostrando uma cerimônia (ele não a tinha consigo naquele momento, mas ele a descreveu para mim) na Alemanha, em 1938, no lançamento da pedra fundamental da fábrica da Volkswagen. Ele disse que certamente se parecia com uma cerimônia maçônica, e parecia que os homens vestindo casacas e um deles, de cartola, usava um avental. A pergunta era se eu achava que era uma cerimônia maçônica? Devo acrescentar que Adolfo Hitler também aparecia na foto.

Não é nenhum segredo que Hitler queria acabar com a Maçonaria, assim como Hermann Goering. Lendo sobre Goering em "10.000" descobre-se sua rápida ascensão ao poder dentro do governo nazista com crescente responsabilidade e poder. A parte interessante da curta biografia de Goering no "10.000" é quando ele se encontrou e conversou com o Grão Mestre Von Heeringen em 07 de abril de 1933. Goering lhe disse: "Em um estado nacional socialista... não há lugar para os maçons." Interessantes em suas palavras - não "não há lugar para a Maçonaria", mas "não há lugar para os maçons". Denslow relata que "Mais tarde, os chefes da maçonaria alemã informaram 'se a intenção do ministro Goering encontrasse aprovação geral no gabinete do Reich, não haveria nenhuma questão quanto à continuidade de nossa Grande Loja de Maçons. ' Seguem-se as regras segundo as quais a Maçonaria poderia continuar - 1. suspensão do uso das palavras 'maçom' e 'Loja'; 2. Interrupção de todas as relações internacionais; 3. Exigência de que todos os membros fossem de origem alemã, 4. Eliminação da exigência de Segredo; 5. Eliminação daquelas partes do ritual, que tinham origem no Velho Testamento. [Os números foram adicionados por mim ou para esclarecimento.] Como resultado, a Grande Loja Nacional mudou seu nome para 'Ordem Nacional Cristã de Frederico, o Grande".

No livro "A Maçonaria no contexto" dos irmãos Morris e De Hoyos, há um capítulo intitulado "No Olho do Furacão", de Rolf Melzer, que visita este período da história e os eventos acima mencionados com mais detalhes. Um trecho deste livro e do capítulo está em: http://books.google.com/books?id=hXq4lJeX_DUC&pg=PA97&lpg=PA97&dq=search:+The+National+Christian+Order+of+Frederick+the+Great.&source=bl&ots=1Wf9dRSqGA&sig=eW2-gytGyujI62mzde5VHPHYYv0&hl=en&ei JHPvS6LeMIO0lQeVw8y1CA = & sa = X & oi = book_result & ct = result & resnum = 3 & mf = 0CB8Q6AEwAg v = # onepage & q & f = false

Quanto à foto da cerimônia de lançamento da pedra fundamental da Volkswagen em 1.938, aqui estão algumas informações interessantes sobre ela:

Acho que encontrei a foto online em: http://auto.howstuffworks.com/ 1931-1945-volkswagen beetle3.htm . Agora, se você é um pouco como eu, precisará de uma lupa para ver tudo o que há na foto. Mas, parece-me que o homem vestindo smoking e cartola está vestindo um avental, embora não seja um avental branco de pele de cordeiro, mas sim um avental marrom e maior, e parece-me que ele e os outros estão fazendo a saudação nazista. Hitler está em primeiro plano olhando o carro Volkswagen (Fusca). A legenda também é muito interessante: "Com muito alarde, Adolf Hitler presidiu a cerimônia de lançamento da pedra fundamental da nova fábrica da Volkswagen em 26 de maio de 1938, no que viria a ser chamado de Wolfsburg." O artigo que segue sobre o carro da Volkswagen é interessante para aficionados do carro e de história.

Meu palpite, e apenas uma suposição já que não posso saber ao certo, é que os homens na foto realizando a cerimônia eram membros da "Ordem Nacional Cristã Frederico, o Grande". Não sendo mais maçons, eles ainda conhecem a cerimônia da pedra fundamental e muito provavelmente, teriam satisfação em realizá-la para um novo edifício. E, se eu estou correto, alguma coisa da cerimônia poderia se parecer com uma cerimônia maçônica, com exceção dos simbolismo ligado aos elementos, a cerimônia de pedra fundamental seria muito semelhante ao de qualquer cerimônia de pedra fundamental, que eu acho era realizada muito antes da Maçonaria especulativa, tal como a conhecemos hoje. O Irmão Jim Tresner escreveu um excelente livro chamado "Do Sacrifício ao Símbolo", que traça a história das pedras angulares e cerimônias de 8000 a.C. até o ano 400 e.v., passando pela Idade Média até os dias atuais. E ele explica como a cerimônia maçônica da Pedra Angular evoluiu a partir de cerimônias de lançamento de pedra angular anteriores. Se você quiser ler um livro que responde a uma série de perguntas, se não todas, sobre cerimônias de pedra fundamental leia o livro de Tresner, ISBN: 0-935633-31-6

O que é interessante retirar deste episódio da história e da formação da Ordem Nacional Cristã Frederico, o Grande, após a eliminação da Grande Loja Nacional da Alemanha é que, para ganhar o favor do Governo Nacional Socialista, a Grande Loja cumpriu as exigências feitas por Goering. Isso, na prática, removeu todos os maçons judeus da nova organização e da Maçonaria; eliminou o ritual, uma vez que a lenda de Hiram vem dos livros do Antigo Testamento, Crônicas e Reis; também eliminou toda e qualquer coisa de natureza privada, inclusive a maneira como alguém votaria dentro de um grupo sobre coisas que precisavam ser votadas. Mudando para tentar ganhar o favor do novo governo, os maçons da Grande Loja da Maçonaria fizeram com que a maçonaria deixasse de existir. Independentemente de uma cerimônia de pedra fundamental ser ou não uma cerimônia maçônica.

Ética - quão ético é mudar uma organização para eliminar todos os não-cristãos que eram membros - Como pergunta o Rev. Maxwell: "Como eu gostaria de ser tratado nesta situação?" Ser removido sem mais nem menos, de uma fraternidade que você ama seria um corte muito cruel.

"A ética deve começar no topo de uma organização. É uma questão de liderança e do Chefe do Executivo deve dar o exemplo. "Edward Hennesy"


 


 

*- Ed Halpaus é membro da Grand Lodge of A.F. & A. M. of Minnesota, USA.