segunda-feira, 1 de abril de 2013

CÓPIA DE MENSAGEM ENVIADA À OUVIDORIA DO GOVERNO DO ESTADO DE S.PAULO

Fiz uma reclamação sobre garrafas de coca cola zero com conteudo
inferior ao declarado no rótulo no dia 11/3/2013.
No dia 14, recebi a resposta:

===============
Jose,

Para o caso, sugerimos que apresente a questão para apreciação da nossa
Diretoria de Fiscalização, no FAX (11) 3824 0717, com atendimento das
10h às 16h.

Solicitamos que no FAX sejam relatados os fatos e fornecidos os dados da
empresa, bem como seus dados pessoais (nome e endereço completos, número
do RG e um telefone para contato, se desejar). Devem ser anexados,
também, os comprovantes que possuir.

Após a análise da questão, nossa Diretoria de Fiscalização entrará em
contato.

Se não residir no município de São Paulo deverá, preferencialmente,
recorrer ao Procon da sua cidade. No caso de ser uma cidade localizada
no Estado de São Paulo, é possível que ali exista Procon conveniado a
esta Fundação. Para verificar o endereço, acesse em nosso site o link
"Procons Municipais".

Atenciosamente,


Eneida
Atendimento Eletrônico

============

A pergunta é: o PROCON sabe que este equipamento FAX praticamente
desapareceu?

Por que não disponibilizar um e-mail onde possamos enviar documentos
escaneados?

A impressão que temos é de que o PROCON-SP está tentando evitar trabalho.

No caso em tela, sendo uma denúncia geral, bastaria o Procon
providenciar a aferição das garrafas colocadas no mercado e constatar a
fraude.

O conteúdo da resposta indica que nem se deram o trabalho de ler a denúncia.

ou seja:

O Procon, assim como o Conseg, são esquemas criados para inglês ver, não
para resolver os problemas dos contribuintes que pagam impostos
escorchantes ao poder público.

E a Coca Cola, assim como todos os outros fraudadores não se preocupam,
pois sabem disso e sabem que nunca sofrerão sanções por suas fraudes
contra o consumidor.