quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

DESCASO DA SURB - PROJETO 196/SIURB/2010



Senhor Prefeito, Fernando Haddad

Pela enésima vez, o cruzamento da Rua Poetisa Colombina com a Rua Dr. José Aires Neto foi alagado. Tivemos ontem, como presente de Natal  1 metro e meio de água que somente não invadiu as casas do Zé e da Vânia porque eles têm comportas de 3 metros de altura (já que estão acostumados a receber 2,5 metros de água em suas salas de visita). Vários veículos boiaram.  Nada demais. Somente rotina.

A pergunta é: Por que isso acontece?

Por dois motivos:  o primeiro, porque a coleta de lixo é deficiente. O setor de coleta do lixo de varrição (os famosos sacos de lixo amarelos que somente são recolhidos quando recorremos ao SAC e ao 156) não realiza seu trabalho e os sacos acabam entupindo o bueiro. Veja abaixo fotos tiradas nessa manhã de 26/12 no local do alagamento, no único bueiro que esgota a água pluvial do bairro inteiro.

           

E por que acontece o alagamento?

Porque independente do lixo não recolhido, o bueiro não dá conta do volume d'água.  Um problema que foi levantado pela prefeitura, um projeto muito inteligente foi contratado, pago e licitado. As verbas foram alocadas e empenhadas.

Mas...

Um burocrata qualquer suspendeu a obra licitada, a meio caminho da solução, desperdiçando recursos e nos condenando à perpetuidade dos alagamentos naquele ponto do bairro, onde a vazão das enchentes não é atendida pela atual canalização.

A obra é essa http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/infraestrutura/obras_de_drenagem/galerias/index.php?p=38295  da qual foram gastos 4 milhões até chegar à Raposo Tavares, onde foi paralisada.

O projeto é da Siurb -  196/SIURB/2010 - e foi suspenso em Outubro/2012, assim que sairam os resultados das urnas. Não conseguimos entender como  e com que autoridade esse funcionário agiu. A obra estava em andamento. A menos que V.Exa. tenha enviado uma ordem direta de suspensão de todas as obras e o engavetamento do projeto.

Vimos tentando obter informações junto àquela secretaria, mas a transparência exemplar que temos do Arq. Luis Felipe na Sub Prefeitura do Butantã contrasta com a AUSÊNCIA DE TRANSPARÊNCIA e de acesso que encontramos na Siurb onde até mesmo os endereços de email da Siurb publicados no site devolvem as mensagens, em evidente demonstração do descaso daquela Secretaria com os problemas da cidade.  Ninguém sabe informar coisa alguma e a disposição em nos receber revela uma total má-vontade em resolver os problemas dos CONTRIBUINTES e ELEITORES residentes na área alagada.

Sendo assim,  pedimos encarecidamente a V.Exa encaminhar à Siurb uma cópia desse email e pedir-lhes que nos concedam a imensa e subida honra de nos receber em audiência imperial para que fiquemos informados sobre o andamento daquela obra crucial para o nosso bem estar.

Pedimos também a V.Exa que encaminhe nosso pedido à Dra. Leda no Planejamento  para que seja providenciada a reinclusão do projeto no Programa de Metas de 2014 e que finalmente algumas famílias do Jardim Bonfiglioli possa dormir sossegados em dias de chuva.

Pedimos que encaminhe também uma cópia do Sr. Osvaldo Spuri na Siurb, já que os emais publicados não funcionam.

Aproveitamos para desejar votos de feliz ano novo.

José Filardo
ASSOVIO - ASSOC. DE VIZINHOS ORGANIZADOS



--
Você está recebendo esta mensagem porque se inscreveu no grupo "ASSOVIO - ASSOCIACAO DE VIZINHOS ORGANIZADOS" dos Grupos do Google.
Para cancelar a inscrição neste grupo e parar de receber seus e-mails, envie um e-mail para assovio+unsubscribe@googlegroups.com.
Para postar neste grupo, envie um e-mail para assovio@googlegroups.com.
Visite este grupo em http://groups.google.com/group/assovio.
Para obter mais opções, acesse https://groups.google.com/groups/opt_out.


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Confissões de um Operador de Drone: Os homens que Distribuem Morte a partir de um Computador

Tradução José Filardo

 AlterNet  /  Por  Bill Berkowitz

Não há maneira de contornar isso, e não há como escapar; os drones estão aqui para ficar.

 

Um drone americano passa perto de Kandahar em 01 de janeiro de 2009

Ao contrário de outros de sua idade que podem estar em casa jogando videogames violentos com nomes como Bulletstorm, Grand Theft Auto, Mortal Kombat e Splatterhouse, e Kindergarten Killers, o Piloto de Primeira Classe, Brandon Bryant não estava jogando.

O ano era 2007, não muito depois de Briant ter completado vinte e um anos.

http://bibliot3ca.wordpress.com/confissoes-de-um-operador-de-drone-os-homens-que-distribuem-morte-a-partir-de-um-computador/



"Com enorme potencial de crescimento e gastos, os drones serão um centro de nossa política para o futuro previsível", destacou Matthew Poder da GQ. "(Até 2025, os drones  serão um negócio de 82 bilhões de dólares, empregando mais de 100 mil trabalhadores.) A maioria dos americanos - 61 por cento na última pesquisa Pew - apoiam a ideia de drones militares, uma projeção do poder americano que não colocará em risco vidas americanas".

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O Estado Policial Americano

É Hora de ter Medo na América: O padrão assustador de emprego de poder policial contra Problemas Sociais. Os exageros de policiamento entraram no DNA da política social dos Estados Unidos.

Crédito da foto: Shutterstock.com

08 de Dezembro de 2013


Se tudo que você tem é um martelo, tudo começa a se parecer com um prego. E se a polícia e os promotores são a sua única ferramenta, mais cedo ou mais tarde, tudo e todos serão tratados como criminosos. Este é cada vez mais o modo de vida americano, um caminho que envolve “resolver” problemas sociais (e até mesmo alguns não-problemas), jogando policiais contra eles, com resultados geralmente desastrosos. Profusas leis criminais invadem cada vez mais a vida cotidiana, à medida que o poder da polícia é aplicado de formas que seriam impensáveis ​​apenas uma geração atrás.

Até agora, a militarização da polícia avançou a tal ponto que “a guerra contra o crime” e a “Guerra contra as Drogas” não são mais metáforas, mas brandas meias verdades. Existe uma  proliferação de equipes SWAT fortemente armadas, mesmo em pequenas cidades; o uso de táticas de choque e terror para prender bicheiros pés de chinelo; os ataques de surpresa para recuperar quantidades insignificantes de drogas que muitas vezes resultam na morte de cães da família, se não de membros da família; e em comunidades onde programas de tratamento de drogas antes eram fundamentais, trava-se uma versão de drogas de uma guerra de contrainsurgência. (Tudo isso é habilmente relatado no Blog  do jornalista Radley Balko e em seu livro,  The Rise of the Cop Warrior). Mas, o excesso de policiamento americano envolve muito mais do aumento da blindagem amplamente relatada dos distritos policiais. É também a forma como o poder de polícia entrou no DNA da política social, transformando praticamente todas as esferas da vida norte-americana em um caso de polícia.

Continue a ler em http://bibliot3ca.wordpress.com/o-estado-policial-americano/